O Serviço Social foi inserido no Hospital Ophir Loyola em 18 de maio de 1955, sendo implantado e sistematizado pela estagiária Josefa Bertélia Monteiro Brito, aluna do Terceiro ano da Escola de Serviço Social, a qual era responsável pelo estudo sócio econômico de cada paciente através da entrevista social, para checar a situação de indigência e outras demandas.

A intervenção do Assistente Social era realizada após o encaminhamento do paciente pelo médico ao profissional de Serviço Social que entrevistava o paciente e evoluía a situação do mesmo na ficha de evolução social. As intervenções eram executadas no ambulatório e enfermarias do Hospital, todas voltadas ao tratamento do câncer. A prática profissional fundamentava-se nos métodos do Serviço Social de Caso, Grupo e Comunidade, nessa época a atuação era voltada para a necessidade do indivíduo, por meio da entrevista social, relatório social, diagnóstico social, compreendendo dessa forma, a situação social do paciente e do tratamento social.

Em 1957 após o Serviço Social ser reconhecido como profissão, mais especificamente em 29 de dezembro de 1960, foi criada  a Divisão de Serviço Social  dentro do hospital , com apenas cinco assistentes sociais. Nas décadas de 70 e 80, o Serviço Social no HOL já estava solidificado e bem estruturado tornando-se referência na intervenção profissional, assim foram desenvolvidos programas, projetos e convênios.

O Serviço Social foi inserido no HOL a fim de amenizar problemas sociais dos pacientes. Hoje em dia o Serviço Social no HOL está inserido não apenas na amenização dos problemas sociais, por meio da minimização das tensões e agitações, mas na democratização das informações e serviços que possam garantir o direito do usuário. Atualmente o HOL conta com o apoio de uma Divisão de Serviço Social que possui 40 Assistentes Sociais, situadas nos diferentes setores do hospital como nas clínicas em geral e nos atendimentos ambulatoriais, dando suporte social aos pacientes internados ou em espera de tratamento, prestando as devidas orientações, buscando garantir direitos sociais por meio das suas diversas articulações, bem como de encaminhamentos a órgãos ou serviços requisitados pelo usuário. Articula com redes de serviços internos e externos a fim de garantir a resolutividade e a integralidade dos serviços prestados, qualificando e humanizando o atendimento a todos os usuários.

 

Assistente Social: Quem é e o que faz?

Assistente Social é o/a profissional que cursou a faculdade de Serviço Social e possui inscrição no Conselho Regional de Serviço Social (CRESS) que juntamente com outras entidades representativas da profissão: o Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa (ABEPSS) e a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social (ENESSO), por meio do projeto ético-político do Serviço Social vão conduzir política e profissionalmente a atuação deste profissional. O/a Assistente Social atua no campo das relações “humano-sociais” e em diversos espaços ocupacionais, compete a ele a elaboração, formulação, execução e avaliação de políticas sociais, principalmente em órgãos públicos federais, estaduais e municipais. Presta orientação a indivíduos, grupos e famílias e realiza estudos sociais com vistas ao acesso a bens e serviços públicos. Planeja, organiza e administra benefícios sociais, assessora órgãos, empresas e movimentos sociais, em processos administrativos e judiciais com realização de avaliações, análise de documentos, estudo técnico, coleta de dados e pesquisa. Atua na docência e realiza pesquisas e investigações científicas. Elabora pareceres sociais, laudos, projetos e relatórios. Sua intervenção inclui ainda a gestão e direção em organismos públicos e privados.

Compromisso Ético

O/a assistente através das finalidades, objetivos, valores e princípios éticos-políticos estabelecidos no Código de Ética Profissional assume compromisso com os interesses e necessidades da classe trabalhadora, buscando superar as desigualdades sociais com vistas a construção de uma nova sociedade. O Projeto Ético Político do Serviço Social esta sintonizado com um projeto societário que assegure a emancipação humana e se expressa no Código de Ética Profissional, (Lei Federal 8.662/1993) que rege e regulamenta a profissão, onde são estabelecidas suas competências e atribuições, das quais vale destacar: ·Defesa intransigente dos direitos humanos contra todo tipo de exploração, opressão e autoritarismo; · Universalização de direitos sociais e das políticas públicas; · Consolidação da democracia, entendida como participação política; · Defesa da equidade e da justiça social, o que pressupõe a socialização da riqueza social produzida, a universalização do acesso a bens e serviços e sua gestão democrática; ·Compromisso com a qualidade na prestação de serviços, competência profissional e articulação com outras categorias de trabalhadores/as; · Fortalecimento das lutas sociais e apoio aos movimentos organizados da classe trabalhadora; . Elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos sociais; · Contribuir e viabilizar a participação dos usuários nas decisões institucionais; · Planejar, organizar e administrar benefícios e serviços sociais; · Orientar a população na identificação de recursos para atendimento e defesa de seus direitos; . Realizar estudo sócio econômico para a identificação de demandas e necessidades sociais;

Serviço Social e Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) conceitua saúde como “o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente a ausência de doenças”. Sendo assim o Serviço Social vai estar inserido no campo social da ação no ambiente hospitalar, dessa forma os Parâmetros para Atuação de Assistentes Sociais vão referenciar a intervenção dos profissionais na área da saúde, permitindo um pensar crítico na área da saúde que consiste em: · Facilitar o acesso de todo e qualquer usuário aos serviços de saúde da instituição e da rede de serviços e direitos sociais, bem como de forma compromissada e criativa; ·Tentar construir e/ou efetivar, conjuntamente com os outros trabalhadores de saúde, espaços nas unidades que garantam a participação popular e dos trabalhadores de saúde nas decisões a serem tomadas; · Elaborar e participar de projetos de educação permanente, buscar assessoria técnica e sistematizar o trabalho desenvolvido, bem como estar sobre a possibilidade de investigação sobre temáticas relacionadas à saúde. · . Estar articulado e sintonizado ao movimento dos trabalhadores e de usuários que lutam pela real efetivação do SUS; · Conhecer as condições de vida e trabalho dos usuários, bem como os determinantes sociais que interferem no processo saúde-doença; · Buscar a necessária atuação em equipe, tendo em vista a interdisciplinaridade da atenção em saúde; · Estimular a intersetorialidade, tendo em vista realizar ações que fortaleçam a articulação entre as políticas de seguridade social, superando a fragmentação dos serviços e do atendimento às necessidades sociais;

Deveres Profisisonais e Código de Ética

·Desempenhar suas atividades profissionais, com eficiência e responsabilidade, observando a legislação em vigor; ·Abster-se, no exercício da profissão, de práticas que caracterizem a censura, o cerceamento da liberdade, o policiamento dos comportamentos, denunciando sua ocorrência aos órgãos competentes; · Apreensão crítica dos processos sociais de produção e reprodução das relações sociais numa perspectiva de totalidade; ·Identificação das demandas presentes na sociedade, visando a formular respostas profissionais para o enfrentamento da questão social, considerando as novas articulações entre o público e o privado.

Desagravo Público

DESGRAVO PÚBLICO: Todo/a assistente social que for ofendido/a ou atingido/a em sua honra profissional ou deixar de ser respeitado/a em seus direitos ou prerrogativas definidas em seu código de ética poderá representar denúncia devidamente fundamentada junto ao seu CRESS.

Referências

FONTE: WERKEMA, Rafael. Serviço Social: Conheça e Valorize esta Profissão. Conselho Federal de Serviço Social (CFESS) e Conselho Regional de Serviço Social (CRESS). 2010

 Obtenha mais informações no site: www.cfess.org.br

 

Contatos:

Divisão de Serviço Social

Lucilene Silva Assunção (Chefe da Divisão)

Nezilda Monteiro (Secretária)

E-mail : loiola_ofir@yahoo.com.br

Fone (91) 3265-6547